Páginas

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

ENTREVISTA: OS INFLAMÁVEIS (RN)

     


Continuando na ideia de movimentar este blog começarei a colocar aqui entrevistas com bandas locais, de outras cidades e / ou estados.

A primeira entrevistada é uma banda, que foi destaque no Festival DoSol deste ano. "Os Inflamáveis" fazem um rock'n roll que bebe nas fontes de bandas das décadas de 60 e 70. Banda com apenas 2 anos de formação estão em plena atividade participando com frenquência de shows e festivais pela cidade, já lançaram EP e estão em processo de finalização de um cd. Vamos à entrevista:

     
Eu - Como surgiu a idéia de montar “Os Inflamáveis”? Como surgiu a idéia do nome?

Daniel (Baterista)  - Bicho, a formação da banda foi bem rápida. Eu (Daniel), Gabriel e Thiago somos primos e sempre curtíamos fazer um som nessas típicas festas hilárias de família. Só que em 2009, em meio à bebedeira a gente resolveu botar pra frente um projeto mais organizado (ou talvez desorganizado, não sei ao certo). Faltava só um puto de um baixista pra fechar a cozinha. Eis que conheço Carlos Goiabeira e o convido pra um ensaio. De imediato o meliante puxa um riff doido no baixo e começamos a fazer uma jam. A partir daí a banda tava formada e fomos trocar uma ideia enchendo a cara no boteco mais próximo.    
   
O nome "Os Inflamáveis" só surgiu algum tempo depois. Não sei bem quem deu a ideia do nome, mas foi bem aceito por todos.

Vocês fazem rock’n roll. O plano é permanecer com trabalhos voltados para o estilo ou transcender para algo além, tipo psicodelia ou afins? 

Nós curtimos muita coisa, Alecrim. A essência da banda realmente é baseada nos rockões feitos na década de 1960 e 1970, e com certeza a psicodelia tá inserida nessa alcatéia (risos). A gente não fica pensando muito em fazer músicas em determinados moldes; a coisa apenas sai rolando, voando, fumando...  

 Vocês foram considerados revelação no Festival DoSol deste ano. Para vocês foi surpresa ou já esperavam a boa receptividade? 

Cara, foi uma surpresa sim. A gente achou que tocando às 17h do sábado, não teríamos um público tão bom, mas pelo contrário, o DoSol tava repleto de gente, todo mundo bebendo pra caralho, curtindo, e isso nos deixou mais à vontade, mais instigados pra fazer nosso som. Som esse do festival que tava sensacional, diga-se de passagem, e curtimos muito a sacação da galera, além das resenhas feitas pelas mídias locais.

Se fosse para se avaliar, vocês se considerariam revelação ou já uma realidade na música da cidade? 

A banda só tem 2 anos de estrada (uma viela na verdade, né?), mas já lançamos um EP Virtual (com 3 músicas), participamos dos dois últimos Festivais 'MPBeco', tocamos em várias casas que aceitam "roque" pela cidade, tocamos no Festival DoSol desse ano e estamos gravando nosso primeiro disco. Tamo em franca produção e efervescência, então somos uma realidade, já que no nosso cenário é raro ver bandas produzindo e movimentando trabalhos próprios.

 Vocês estão gravando um cd. Qual a previsão de lançamento?

O disco a priori era pra ficar pronto até o final desse ano, mas houve alguns contra-tempos, e com certeza não estará disponivel em 2011. Mas acreditamos que em meados de 2012 o disco dará as caras e faremos uma festa doida pra lançar a bolacha.


 O que o público da banda pode esperar do trabalho? 

Essa pergunta é interessante, porque é importante dizer que estamos gravando com Dante, um amigo nosso, e tá sendo muito massa, sabe? Apesar das paradas entre as sessões, a gente tá curtindo todo o processo das gravações. Algumas músicas a gente resolveu mudar radicalmente o arranjo, experimentar, testar equipamentos, sonoridades... e estamos gostando do resultado... antes de mais nada, podem esperar um disco muito doido!

 Vocês têm músicas que não vão entrar no disco, como funcionou a escolha das músicas que vão compor o trabalho?

Em um certo momento do ano passado a gente selecionou as músicas que tocaríamos nos shows, e consequentemente formou-se assim a ideia-base do disco. Depois disso fizemos outras canções, mas vão ficar pra próxima. 

 As que estão de fora, já vão começar a tocar nos shows para ver a recepção e, quem sabe, usar em um próximo cd?

Sim, sim... A gente tem algumas músicas correndo por fora do disco, e já estamos ensaiando, metendo ficha nelas pra tocar.

Espaço aberto para algo que a banda queira divulgar e que não foi perguntado. 

Valeu, Alecrim, pela iniciativa da entrevista. Só lastimo esse papo não ter sido num boteco, mas de qualquer forma, foi massa. A gente tem o myspace: www.myspace.com/osinflamaveisnatal - e lá é possível baixar o nosso EP lançado em 2010. No mais é qualquer coisa.

Daniel: Bateria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário